ABERTURA DE CAPITAL E SUAS PRINCIPAIS VANTAGENS 

Diversos fatores podem contribuir para decidir-se pela abertura de capital de uma empresa na Bolsa de valores, sendo que muitos podem ser os benefícios. De forma geral, ao ouvir falar em uma companhia de capital aberto, logo se pensa em uma grande corporação; porém, o ingresso de empresas de menor porte no mercado de ações é possível e, inclusive, recebe apoio da BM&F BOVESPA. Ao abrir o seu capital ao mercado, a empresa poderá, por exemplo, acessar capital de terceiros emitindo títulos de dívidas ou aceitar novos sócios que integrarão o seu quadro social. Para tanto, é necessário que alguns procedimentos preliminares sejam seguidos, culminando na primeira oferta das ações da empresa na bolsa de valores. Por ser a primeira oferta pública de títulos da empresa, este ato é chamado de Oferta Pública Inicial, em português, ou IPO (sigla em inglês para Initial Public Offering).

Nesta distribuição primária, a empresa emite e vende ações ao mercado e o vendedor – que, poder ser a própria companhia ou os atuais sócios, recebe os recursos obtidos na distribuição. É possível também apenas emitir as ações, mas não as colocar à venda, mantendo-as na vitrine da bolsa de valores para observar a reação do mercado. É evidente que, para a abertura do capital, a empresa precisa aprimorar suas práticas de governança corporativa, a fim de atingir um padrão mínimo de referência em boas práticas. Este padrão, além de agregar valor às operações da empresa e diferenciá-la dos seus concorrentes, é reconhecido pelo mercado e traz maior segurança aos investidores.

Destaca-se como a motivação mais comum para uma oferta pública inicial, o acesso a novas fontes de recursos para financiar projetos de investimentos e aumentar a competitividade da empresa. O IPO atrai capital de investidores nacionais e internacionais interessados nos projetos da companhia e, geralmente, estes recursos possuem um custo de captação menor do que o de outras formas de financiamento. Além disso, uma companhia de capital aberto tende a ser menos afetada pela volatilidade da economia e, com melhores práticas de governança, abre oportunidade para seus executivos planejarem com maior assertividade o futuro do negócio. Tudo isso representa redução de risco para a companhia; pois, além de passar a ser avaliada constantemente pelos investidores, também deve seguir rígidas normas e diretrizes necessárias para garantir a conformidade das suas atividades e viabilizar maior volume de negócios utilizando suas ações como moeda de troca.

Considerando que suas ações podem ser utilizadas para adquirir outras companhias, ou seja, se tornaram valorizadas perante o mercado, elas passam a viabilizar a compra de ativos sem utilizar o caixa da companhia, portanto, não descapitalizando as operações. Sendo assim, esta opção de negócios possibilita acelerar o crescimento da empresa e contribui para a consolidação da sua imagem no mercado. Aliás, a imagem é muito importante, uma vez que a companhia passa a ter elevada visibilidade no cenário nacional e internacional, permitindo, inclusive, aperfeiçoar a divulgação dos seus projetos de investimento a fim de atrair mais investidores.

Estas vantagens, atreladas a outros benefícios como liquidez patrimonial, fortalecimento das relações com clientes, fornecedores e outros interessados, fazem do IPO uma excelente ferramenta que contribui para a construção de um ciclo virtuoso de crescimento, gerando grandes oportunidades de negócios no Brasil e no mundo.

 

Por Eliseu Schenkel da Luz